Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sete Vidas Como os gatos

More than meets the eye

More than meets the eye

Sete Vidas Como os gatos

08
Ago08

Na tartaruga a mudança

Rui Vasco Neto

Já aqui vos falei deste blog diferente, várias vezes. Chama-se Atlântico Expresso e é uma espécie de postal ilustrado de Cabo Verde, sempre actual e pintado com as cores reais do dia-a-dia daquele palop, nas crónicas epistolares que Fernando Peixeiro escreve da cidade da Praia com destino a António Martins Neves, também jornalista, que em Lisboa completa o par de autores deste blog. São prosas fascinantes, todas, poéticas algumas, sofridas muitas, hilariantes uma ou outra. No conjunto, geniais. São prosas como esta, publicada no dia 4 deste mês de Agosto e da qual retirei o pequeno excerto que se segue, verdadeiramente imperdível. E autêntico, enquanto documento político-social da actualidade cabo-verdiana. Ora vejam, por favor.

 

«(..)Há mais de 10 anos que é proibido matar tartarugas em Cabo Verde, mas também nesse tempo nunca ninguém foi impedido ou penalizado por o fazer. Só que agora as coisas estão a mudar e se o governo pouco fez é outro tipo de penalização que começa a nascer, como as ervinhas mal cai uma chuvada, a penalização social. E há três dias, num gesto que eu acho muito louvável, José Maria Neves pediu aos cabo-verdianos para que a partir de agora não comam “nem mais uma fatia de tartaruga”. Aproveitando a inauguração da primeira Feira Ambiental do país (coisa bonita também), o primeiro-ministro não fez ameaças, não falou de novas leis, não criticou ninguém. Pediu. “Um dos nossos desafios é o de que ninguém coma ou mate tartaruga a partir de agora. É um símbolo de Cabo Verde, da nossa beleza, da nossa grandeza. Cabo Verde deve ter um crescimento com forte sustentabilidade ambiental”. Dito isto o primeiro-ministro pediu ainda ao povo que dê as mãos nesta cruzada, que proteja as tartarugas e que condene na praça pública não só aqueles que matam mas também os que comem a carne.


Tinha de te falar disto porque parece-me a mim que é sinal de que alguma coisa está a mudar. Pelas associações, pelos programas na televisão, pelas prisões e pelo des
ejo bem expresso do governo de que é preciso proteger o ambiente (pelo menos desejo). As tartarugas mas também as praias, a gestão do lixo, o impacto ambiental, a apanha de areia… é certo que ainda se partem garrafas em qualquer lado, se deita lixo pelas janelas dos automóveis, se apanha areia na praia para construir casas. É certo que as praias ainda funcionam como casa de banho e que as acácias continuam desenfreadamente a parir sacos de plástico. Mas, caro amigo, tenho muita esperança em que as coisas estejam a mudar. E lá onde é preciso, na cabeça das pessoas.»

 

Já aqui vos tinha falado deste blog diferente, várias vezes. Chama-se Atlântico Expresso e é uma espécie de postal ilustrado de Cabo Verde, essa terra maravilhosa onde a mudança vai chegando aos poucos, muito, muito devagar. A passo de tartaruga.

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sete vidas mais uma: Pedro Bicudo

RTP, Açores

Sete vidas mais uma: Soledade Martinho Costa

Poema renascido

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D