Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sete Vidas Como os gatos

More than meets the eye

More than meets the eye

Sete Vidas Como os gatos

11
Ago08

Uma confissão desdobrável

Rui Vasco Neto

Por aqui segue a conversa sobre os Açores, hinos e bandeiras, Cavaco e Soares, comunicações do Presidente, bicadas no Presidente, enfim, é Agosto. Desses pequenos nadas para os pormenores sumarentos e por contar dos bastidores da política açoriana no agitado final da década de setenta do século passado, foi um pulinho. O meu amigo Daniel de Sá faz as honras da conversa, ele é que é desse tempo, não sendo velho já é antigo. É ele a dar, nada na manga, o trunfo é contar com verdade o que a memória guardou. Os parceiros aguardam, o povo é sereno. Parece querer puxar a Escola do Magistério, mas salta-lhe de repente uma confissão feminina com muitos pecados e pouca roupa. Os parceiros estão atónitos, eu próprio estou que nem posso. Ele, impávido, nem pestaneja. Cá para mim é certo: o homem tem jogo. 

Em baixo: "Uma confissão desdobrável"

Sete vidas mais uma: Daniel de Sá

 

 

A história da questão da Escola do Magistério, acontecida no ano de 1976, é algo entre o absurdo e o solenemente irritante. Sendo assunto fastidioso, embora cheio de interesse como análise psicológica de uma época estranha, terei de arranjar uma boa dose de paciência e de tempo para alinhavar as linhas essenciais. No entanto, avanço com um episódio marginal, tão divertido quanto estúpido, que servirá de aperitivo.

 

A certa altura da discussão de razões, o ponta-de-lança dos interesses do PPD (ele escrevia no “Açores”, e eu no “Correio dos Açores”) acusou-me de enviar de Espanha pornografia para o padre Agostinho Tavares, actual reitor do Santuário da Esperança. Foi o momento de maior imaginação do homem, que teve outros também notáveis. Eu estive em Espanha a estudar Filosofia e Teologia em Valência e Granada, e o padre Agostinho é um velho amigo, que nasceu na rua onde eu nasci e cuja casa fica a uns vinte metros da minha. A única carta que lhe mandei na vida foi há um par de anos, a acompanhar um artigo que ele me pediu para o boletim inter-paroquial de Ponta Delgada. Contra uma acusação daquelas nada mais se pode do que soltar uma boa gargalhada. Foi o que fiz, e faço ainda de vez em quando ao recordar o episódio com  Monsenhor Agostinho ou com o Tomaz Vieira.

 

A imaginação, porém, ia muito mais longe, o que depois vim a saber. Ele explicou na escola onde trabalhava em que consistia o material pornográfico que eu teria enviado ao meu amigo sacerdote. Um colega que ouviu a narração contou-me. Vejam lá se não tive razão para mais uma gargalhada das boas. (E, Deus me perdoe, alguma pena também de não conhecer tão notável impresso.) Tratar-se-ia de um desdobrável sobre a confissão de uma rapariga. Por cada pecado que ela dizia ao confessor, tirava uma peça de roupa, acabando por confessar-se toda.

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Alfredo Gago da Câmara 12.08.2008

    Daniel, Agosto é um mês mau para se usar como comentário neste post. Afinal foi ou não foi o seu diminuitivo o teu cumplice em toda esta confusão!?
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Mais sobre mim

    foto do autor

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Sete vidas mais uma: Pedro Bicudo

    RTP, Açores

    Sete vidas mais uma: Soledade Martinho Costa

    Poema renascido

    Arquivo

    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2012
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2011
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2010
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2009
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2008
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2007
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D