Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sete Vidas Como os gatos

More than meets the eye

More than meets the eye

Sete Vidas Como os gatos

21
Set08

A amizade

Rui Vasco Neto

A acreditar no próprio, 'Confúcio Costa terá, ao que tudo parece indicar, nascido'. As suas 'Intermitências da Corte' são um mundo de reflexão dado à estampa em conclusões de truz. Nesta aguarela de autores, que por este mês se juntam aqui no 7Vidas com o fraco pretexto de um aniversário, Confúcio, o Costa, é mais uma tonalidade inconfundível e imprescindível ao retrato de grupo, neste Setembro em festa que vai ficar para a blogoposteridade. Em nada deslustra o resto da pandilha que por estes dias me traz blogofeliz. Aliás (mais uma vez a acreditar no próprio) somos até semelhantes, eu e ele: “Somos, de facto, muito iguais. Ambos temos a certeza, inabalável, de que somos únicos.” É assim o meu convidado de hoje.

 

Em baixo: "A amizade"

Sete vidas mais uma: Confúcio Costa

 

 

A amizade pode ter muitas faces. Mas tem, sobretudo, a face que não se vê. A face de estar – sem necessitar de estar; de sentir – sem necessitar de tocar.

De gostar – sem necessidade de importunar.

 

A amizade pode ser muitas coisas: um abraço, um carinho, uma palmada nas costas, um berro, um conselho. E letras. Sim: a amizade pode ser letras. Só isso: letras. Umas atrás das outras. E, no entanto, todas à frente. De nós, claro. E dos outros também.

 

A amizade pode ser – e é – muitas coisas. Mas não é, com toda a certeza, deixar de responder o mais simnoro dos sim’s (ou: em inglês, dos sin’s – sem ponta de pecado) quando nos é pedido que o sejamos: amigos.

 

E oferecer a amizade é oferecer aquilo que a amizade é – aquilo de onde ela nasceu, cresceu e se reproduziu (em parágrafos de diálogo por dialogar). Sim: em letras.

 

E é em letras – nas que acabaram de passar – que se expressa o sim. O sim de estar aqui – a abraçar sem braços e a dizer olá sem voz – a amigar em hora de celebração.

 

É um ano – sim. Mas já parecem muitos. Porque os anos, entre amigos, não se contam em tempo. Os amigos, entre os anos, são uma forma de tempo.

 

Confúcio Costa

(Blogger do 'Intermitências da Corte')

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sete vidas mais uma: Pedro Bicudo

RTP, Açores

Sete vidas mais uma: Soledade Martinho Costa

Poema renascido

Arquivo

  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2012
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2011
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2010
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2009
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2008
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2007
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D